Sonegação de impostos atinge
marca de 215 bilhões em 2018

De acordo com o Sonegômetro, com esse valor daria para construir mais de 6 milhões de casas populares

Você já parou para pensar em como a sonegação de impostos e tributos afeta a sua vida? De acordo com o Sonegômetro, projeto que faz parte da campanha nacional da Justiça Federal Quanto Custa o Brasil pra Você?, criado em 2009, pelo Sinprofaz (Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional), o Brasil está deixando de arrecadar mais de 215 bilhões em impostos fiscais apenas em 2018. Com esse valor seria possível construir mais de seis milhões de casas populares, distribuir 640 milhões de cestas básicas, pagar 10 milhões de salários anuais de professores do ensino fundamental, distribuir três bilhões de bolsas família e comprar dois milhões de ambulâncias equipadas, por exemplo.


Para tentar reverter esse quadro, o governo federal criou o Sped (Sistema Público de Escrituração Digital), que constitui-se no Livro Eletrônico de Controle de Produção e Estoque. Esse livro de controle da empresa é totalmente destinado para a escrituração dos documentos fiscais e documentos de uso interno do estabelecimento, ou seja, todas as informações ali contidas não são passadas para terceiros. Dentro do Sped está o Bloco K, que é a versão digital desse livro.
O Bloco K serve para que todas as organizações apresentem um relatório mensal de estoque e produção no Sped. Os Órgãos Fazendários Estaduais, por meio do Bloco K, receberão todas as informações necessárias para a apuração do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria) e do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado). As empresas que não aderirem ao programa podem atrair a fiscalização e, consequentemente, gerar multas, além de outras sanções. “Em caso de atraso, a multa será de 1% sobre o valor do estoque, acrescidos de R$500 para empresas optantes pelo Simples Nacional e R$1,5 para as companhias enquadradas nos demais regimes. No caso de envio de informações incorretas, a multa é de 3% sobre as obrigações comerciais. E os que recolherem valores menores do que o devido ou não recolherem valor algum, terão que pagar multa de 100% desse valor, além da empresa correr o risco de ser autuada criminalmente”, explica Jéssica Simões, consultora comercial da Forbiz.
Para que isso não aconteça, é importante que as empresas digitalizem seus sistemas, trazendo qualidade para as informações fiscais, com integração e consistência. A Forbiz Business Software, empresa curitibana que está há mais de 20 anos no mercado de softwares de gestão do mercado, revende o software da Sênior, que possui as principais características que as empresas precisam: traz os cadastros dos produtos compatíveis com as operações, estoques e a administração da produção. Abrange as empresas com industrialização própria, terceirizações, saldos de estoques, ficha técnica, perdas do processo produtivo e substituições de insumos.