A obrigatoriedade do Bloco K se aplica aos estabelecimentos industriais ou aqueles equiparados pela legislação federal e atacadistas, podendo, a critério do Fisco, ser exigido de estabelecimentos contribuintes de outros setores.

Industrias dos segmentos de bebidas, automobilísticas e fumo com faturamento superior a R$ 300 milhões em 2016 terão que entregar o arquivo completo (registros de movimentações) a partir de janeiro de 2019. Desde 01/2017, essas empresas já estão dentro do processo obrigatório de entrega dos registros de saldos físicos de estoques mensais (registros K200).

Empresas de Lucro Real estão obrigadas a apresentar este registro (K200) desde o 01/2018 e as demais entram com a obrigatoriedade agora em 01/2019.

Perguntas e respostas sobre o Block K

Grandes dúvidas sobre o assunto ainda transitam entre os setores responsáveis. Em 2019, essa obrigatoriedade vai fazer parte de uma grande massa de empresas, portanto, é fundamental ter o máximo de conhecimento sobre o tema.

O que vemos no dia a dia são empresas ainda realizando todo o processo de registro de forma manual.

Por isso pontuaremos aqui, algumas questões na qual você deve se atentar.

Como serão organizadas as informações no Bloco K?

O Bloco K é organizado em períodos de acordo com a apuração do ICMS ou IPI. Aquela apuração que possuir a menor periodicidade deve prevalecer na organização das informações para o Bloco K. Estes impostos podem ser apurados de forma mensal, quinzenal ou decendial.

Existe algum Cronograma específico para o Bloco K?

Sim, e está disponível no site do CONFAZ.

É bem importante que este documento seja lido com a máxima atenção, principalmente com relação aos prazos.

O cronograma de apresentação do Bloco K foi dividido em quantas partes?

Em 3 partes.

  1. Faturamento anual igual ou acima de R$ 300 milhões;
  2. Faturamento anual igual ou acima de R$ 78 milhões;
  3. Contribuintes com qualquer faturamento.

Embalagens, filmes plásticos, etiquetas devem fazer parte da ficha técnica do produto? Como serão apresentadas no arquivo do Bloco K?

Sim, todos os componentes utilizados para a produção de um produto devem ser apresentados no arquivo do SPED Fiscal. Estes insumos serão apresentados na forma de apontamentos na própria ordem de produção.

Remessa e retorno de armazenagem devem ser apresentados no Bloco K?

Não, os produtos envolvidos na remessa e retorno de armazenagem não sofrem transformação nas suas características, devendo estes documentos serem apresentados no bloco C do SPED Fiscal.

Insumos utilizados ocasionalmente ou esporadicamente devem ser apresentados no registro K235?

Sim, os insumos ou matérias-primas utilizadas esporadicamente no mês devem sempre informar o produto substituído previsto na ficha técnica.

A Forbiz Business Software possui alguma solução que facilite o processo de entrega desta obrigatoriedade?

 Sim, o nosso maior parceiro de negócios é a Senior Sistemas, que disponibiliza uma ferramenta para Análise de Impacto do Bloco K (Controle de Produção e Estoque).

Um robô realiza a análise e apontamento dos processos que precisam ser alterados para atender o Bloco K. Essa análise será realizada nos cadastros, movimentações das ordens de produção, nos movimentos de estoques e nos documentos fiscais de industrializações em terceiros. A grande vantagem desta solução é que ela pode ser integrada aos principais ERP do mercado.

A Forbiz Business Software dispõe de uma equipe totalmente certificada e capacitada para apoiar a sua empresa neste desafio.

Entre em contato com nosso time através do WhatsApp!

FORBIZ | Respeitando o seu tempo e crescendo com você.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *