A produtividade, a eficiência e o sucesso operacional de uma empresa estão diretamente ligados ao quão bem é feita a gestão da cadeia de suprimentos.

Mas, o que é isso? Quais são as boas práticas para uma gestão eficaz?

Confira as respostas neste texto que preparamos especialmente para você!

 

O que é cadeia de suprimentos?

A cadeia de suprimentos, também bastante conhecida pelo termo em inglês supply chain, é o conjunto de todos os processos, atividades, pessoas e recursos envolvidos desde a produção até a entrega de um determinado bem.

Nesse contexto, os elementos básicos que fazem parte da cadeia de suprimentos são a aquisição de matérias-primas e embalagens, a estocagem dos insumos, a fabricação propriamente dita, a estocagem dos itens em produção e acabados, e o transporte do produto até o cliente final.

Como você pôde perceber, a cadeia de suprimentos diz respeito a uma série de fatores internos da empresa, envolvendo vários setores, e também externos, como as condições dos fornecedores e, muitas vezes, o transporte, por exemplo.

Para que tudo funcione corretamente e traga vantagem competitiva para a empresa, as informações precisam estar integradas e toda a cadeia precisa ser muito bem gerida.

 

O que é gestão da cadeia de suprimentos?

A gestão da cadeia de suprimentos é a gestão de todos os processos que vão desde a aquisição dos insumos até a entrega do produto final para o consumidor.

Ou seja, faz parte da gestão da cadeia de suprimentos a escolha dos melhores fornecedores, a compra dos insumos necessários nas quantidades adequadas, a produção, a estocagem e a entrega.

Para isso, é preciso integrar as informações de todos os setores e deixá-las disponíveis aos interessados em tempo real, além de melhorar a comunicação entre as equipes e otimizar e padronizar processos.

Uma boa gestão da cadeia de suprimentos é fundamental para a rentabilidade de uma empresa, para aumentar sua vantagem competitiva e para melhorar cada vez mais a experiência dos seus clientes.

Mas, como fazer isso? É o que você vai descobrir a seguir!

 

Como fazer uma boa gestão da cadeia de suprimentos?

Seguem abaixo nove boas práticas para fazer uma gestão eficaz da cadeia de suprimentos, conquistando ótimos resultados para o negócio!

 

1. Mapeie os processos

O mapeamento dos processos é fundamental para uma boa gestão da cadeia de suprimentos. Afinal, para que as melhores decisões sejam tomadas, é preciso conhecer a fundo todos os processos envolvidos na aquisição e transformação da matéria-prima, até a entrega do produto final ao consumidor.

Ou seja, mapear os processos vai aumentar a visão sistêmica que os gestores têm sobre a empresa e, com isso, será possível conhecer todas as etapas, enxugar tudo o que estiver sobrecarregando os processos, identificar e eliminar gargalos, além de dar mais fluidez ao andamento dos trabalhos.

 

2. Levante informações internas e externas

É importante levantar as principais informações referentes a cada etapa, considerando, inclusive, questões que podem representar algum tipo de fragilidade ou limitação.

Mas é preciso, também, levantar informações estratégicas sobre fornecedores e clientes, além de outros fatores externos, como a situação econômica e ambiental.

Assim, sua análise terá perspectiva interna e externa, e você terá mais embasamento para lidar com mudanças de cenário e/ou possíveis crises.

 

3. Escolha os melhores fornecedores

Uma boa gestão da cadeia de suprimentos está totalmente relacionada à uma escolha adequada dos fornecedores. É preciso investigar para descobrir qual fornecedor é capaz de atender às demandas da sua empresa de uma forma eficiente e com o melhor custo X benefício.

Afinal, o valor pago nos insumos terá impacto direto na precificação e, consequentemente, na rentabilidade do negócio.

Mas não é só o preço que requer atenção! É fundamental que sejam escolhidos fornecedores de confiança, que entreguem produtos de qualidade e dentro do prazo estipulado. Além disso, é válido também conhecer a capacidade de flexibilidade do fornecedor, ou seja, o quanto ele consegue lidar com aumento ou redução de demanda.

 

4. Tenha controle sobre os custos

É fundamental saber exatamente quanto custa cada processo envolvido na cadeia de suprimentos.

Assim, além de ficar mais fácil identificar onde se pode cortar despesas e reduzir custos, é possível também criar uma estratégica de precificação mais acertada e conhecer exatamente qual é a margem de lucro obtida.

 

5. Integre todas as informações

Todos os elos da cadeia de suprimentos são conectados. Isso significa que o que acontece em um pode facilmente afetar o trabalho do outro.

Por isso, é fundamental que todas as informações estejam reunidas em um só lugar, ou seja, que todos os setores da empresa envolvidos na cadeia alimentem um único banco de dados e em tempo real.

Além disso, os outros setores devem ter acesso a esse banco e, com base nas informações atualizadas e confiáveis que estarão lá, devem ter segurança para dar continuidade aos seus trabalhos.

Para essa integração de informações ser verdadeiramente efetiva, é fundamental poder contar com um sistema que tenha essa funcionalidade, como o sistema de gestão integrada.

Assim, como todas as áreas vão alimentar um único sistema, é possível ter uma visão global de todos os processos, o que contribui para a padronização e eliminação de gargalos. Devido a essa visão geral e à automatização de muitas tarefas, os processos são otimizados.

 

6. Faça a manutenção preditiva

Para fazer a gestão da cadeia de suprimentos é fundamental levar em consideração os intervalos necessários para a realização da manutenção das máquinas e equipamentos.

Afinal, isso tem impacto em todo o resto do processo e pode alterar os prazos de entrega.

 

7. Otimize seu estoque

Fazendo uma gestão adequada da cadeia de suprimentos é possível otimizar o estoque, encontrando o equilíbrio necessário para que a empresa não sofra com a falta de matérias-primas para a produção, mas que também não tenha custos excessivos com a compra de materiais que podem ficar “encalhados” no estoque.

O mesmo vale para o estoque de produtos finalizados. Com a otimização, a empresa passa a produzir na quantidade ideal, evitando que faltem produtos para entregar aos consumidores, mas também impedindo que haja uma grande quantidade de mercadorias paradas.

Existe um método que contribui para a gestão da cadeia de suprimentos e otimização da gestão do estoque. É o método Just in Time, expressão que pode ser traduzida para o português como “na hora certa”.

Trata-se de uma técnica de produção que se propõe a cumprir o que o próprio nome sugere: tudo deve ser feito no momento certo e com a quantidade certa para se passar para a próxima fase, reduzindo a necessidade de estoques e minimizando desperdícios. Assim, a empresa tem seus custos reduzidos e ganha agilidade e eficiência.

 

8. Mensure indicadores

A mensuração de indicadores é uma prática fundamental para a boa gestão da cadeia de suprimentos.

Escolhendo os indicadores apropriados para serem analisados e fazendo o acompanhamento constante, é possível descobrir onde estão as maiores margens de lucro, onde estão os maiores prejuízos, quais processos estão com performance adequada e quais precisam ser revistos; enfim, a mensuração de indicadores proporciona uma visão global do negócio e dos resultados.

Tudo isso permite tomadas de decisão muito mais efetivas e ágeis, praticamente em tempo real. E é importante reforçar que, dessa forma, as decisões são tomadas com base em dados concretos, não em achismos ou suposições.

 

9. Conte com o auxílio da tecnologia

Ferramentas tecnológicas são cada vez mais fundamentais para uma boa gestão da cadeia de suprimentos. Afinal, é praticamente inviável levantar a analisar todas as informações necessárias na ponta do lápis.

Por isso, é fundamental contar com um sistema completo de gestão, o ERP.

O objetivo desse sistema é auxiliar no gerenciamento empresarial, oferecendo um conjunto de soluções que integra todos os setores de uma empresa, como compliance, finanças, manufatura, suprimentos, qualidade, vendas e serviços em um só lugar.

Ou seja, em poucas palavras, trata-se de um sistema que permite o controle total do negócio em um único lugar e em tempo real, independentemente do tamanho da empresa.

Especificamente para a gestão da cadeia de suprimentos, o ERP traz grandes vantagens. Entre elas, podemos citar de modo especial as que seguem abaixo:

 

  • Embasamento em dados

O ERP ajuda a empresa a integrar e unificar todos os dados, aliás, esse é um dos principais benefícios do sistema. Ele funciona como uma grande base de dados centralizada.

Assim, a partir do momento em que as informações são inseridas no sistema, tornam-se acessíveis para todas as partes interessadas. Sem problemas de duplicação de dados, sem problemas de desatualização… sem problemas!

Isso tudo, é claro, permite que as decisões sejam tomadas com embasamento e, dessa forma, se tornem muito mais ágeis e acertadas.

 

  • Automatização dos processos

A automatização pode ser definida como a utilização de tecnologia para tornar automáticos processos complexos do negócio.

Nesse contexto estão incluídas tanto atividades relacionadas à análise de dados, por exemplo, que se tornam muito mais aprofundadas e assertivas; quanto atividades repetitivas e rotineiras, que muitas vezes não são “do agrado” de quem as executa, justamente pelo caráter mecânico e operacional que elas têm, resultando em tédio e insatisfação por parte dos colaboradores.

Com a automatização, as empresas ganham agilidade, produtividade, escalabilidade e otimização do tempo – para citar apenas alguns benefícios.

Não é à toa que 40% das equipes de infraestrutura e operações utilizarão, até 2023, automatização combinada com inteligência artificial justamente para atingir esses objetivos, de acordo com um relatório recente do Gartner.

 

  • Conexão com a transformação digital

Algumas tecnologias disruptivas, como a Internet das Coisas, estão potencializando a gestão da cadeia de suprimentos, exercendo um papel fundamental, por exemplo, na reposição de estoques e manutenção preditiva e prescritiva.

Os melhores ERPs do mercado permitem integração com sistemas baseados em Internet das Coisas, como o Sistema MES, e, conseguem importar dados, como informações sobre colaboradores, estoque, armazenamento, qualidade, estações de trabalho, e mais. Essa integração remove qualquer gap que exista entre gerência e operação.

 

Que tal usar a tecnologia para potencializar a gestão da cadeia de suprimentos da sua empresa?

Automatize processos e foque nas melhores compras! Reduza custos de armazenagem, simplifique a gestão do estoque multidepósitos e multifiliais e facilite os ressuprimentos de forma automatiza!

Selecione parâmetros e requisitos específicos da empresa para conferência do recebimento físico, financeiro e fiscal! Proporcione inteligência e agilidade para o seu fluxo de recebimento com lançamentos automáticos via XML da nota fiscal!

Entenda exatamente como o nosso ERP pode transformar a gestão da sua cadeia de suprimentos, entrando em contato agora mesmo com um dos nossos especialistas!

E-mail: contato@forbiz.com.br
Telefone: (41) 4042-1026
WhatsApp: (41) 98785-2796