A pandemia do novo coronavírus e os impactos socioeconômicos causados por ela certamente são um dos maiores desafios já vivenciados por líderes empresariais em todo o mundo.

Além de proteger a saúde física e mental de seus colaboradores, também precisam planejar a retomada, fazer o levantamento e a análise de possíveis cenários, bem como criar e adaptar estratégias rapidamente.

Em meio a toda essa turbulência, pode ser tentador para algumas empresas deixar em segundo plano as iniciativas de promoção da diversidade e inclusão. Porém, isso pode ser ainda mais prejudicial aos negócios.

De acordo com a McKinsey & Company, esse tipo de pensamento pode levar as empresas a perder oportunidades de inovar seus modelos de negócios e de fortalecer sua recuperação.

Empresas que apostam na diversidade têm vantagens na retomada

Por outro lado, estudos da consultoria apontam que a diversidade é um poderoso facilitador de desempenho dos negócios, e as empresas que continuarem apostando nisso sairão da crise mais fortes.

Apontam, ainda, que empresas com alto nível de diversidade têm mais chances de tomar decisões melhores e mais ousadas. São capazes, por exemplo, de inovar radicalmente e antecipar mudanças nas necessidades do consumidor e nos padrões de consumo.

Além disso, a McKinsey afirma também que empresas que investem em diversidade e inclusão são mais propensas a formar equipes mais adaptáveis e eficazes, que reconhecem a diversidade como uma vantagem competitiva.

5 principais benefícios

Por que a diversidade deveria ser parte essencial da agenda, mesmo durante a crise?

Além de todos os benefícios já ditos aqui, a promoção da diversidade e inclusão ajuda a fortalecer a imagem organizacional.

A McKinsey levantou os cinco pontos-chave nos quais a diversidade costuma fazer uma mudança significativa, impactando, assim o desempenho de uma empresa:

01 – Retenção de talentos

Os talentos costumam permanecer na empresa. Além disso, há um facilitador que veio com a crise que pode acelerar ainda mais a ampliação do leque de talentos e a construção de culturas inclusivas: o trabalho remoto habilitado pela tecnologia.

Isso porque as barreiras geográficas são removidas e há a inclusão de profissionais que talvez não tivessem disponibilidade de outra forma que não home office, como mulheres que acabam assumindo de forma desproporcional os deveres familiares, ou pais e mães solteiros.

 

02 – Melhoria na qualidade das decisões

Equipes que vivenciam a diversidade conseguem trazer múltiplas perspectivas para os problemas, o que aumenta as chances de conseguirem desenvolver soluções mais criativas.

Os colaboradores são mais engajados e têm mais disposição para participar e contribuir. Além disso, essas equipes tendem a se concentrar nos dados e a processá-los com mais cuidado.

Por fim, possuem a visão e as habilidades necessárias para solucionar problemas e reavaliar os modelos de negócios, a dinâmica competitiva e o ambiente externo.

 

03 – Maior entendimento sobre o cliente (e inovação)

As equipes também têm mais facilidade em preceder as mudanças nas necessidades dos consumidores e nos padrões de consumo, o que possibilita a criação antecipada de novos produtos e serviços, potencializando a vantagem competitiva. Alguns estudos, por exemplo, demonstram que empresas com mais mulheres são mais propensas a introduzir inovações radicais no mercado.

Ou, ainda, que aquelas que possuem uma equipe de liderança culturalmente diversa têm mais chances de desenvolver novos produtos do que as que possuem uma liderança mais homogênea.

Além disso, os funcionários das empresas comprometidas com a diversidade têm 150% mais probabilidade de afirmar que podem propor novas ideias e tentar novas maneiras de fazer as coisas.

04 – Elevação da motivação e satisfação dos colaboradores

Pesquisas indicam que colaboradores de empresas comprometidas com a diversidade têm 75% mais de chances de relatar uma cultura de liderança favorável ao trabalho em equipe.

As empresas podem aproveitar os sentimentos de solidariedade que estão se expandindo durante a crise para construir culturas de trabalho ágeis e inclusivas no futuro.

É importante que todos os gestores da empresa tenham consciência da importância e dos benefícios da diversidade, e que reconheçam o papel crítico que têm para garantir que todos os colaboradores se sintam valorizados e incluídos, especialmente neste momento de maior vulnerabilidade.

 

05 – Melhoria da imagem da organização

As empresas que mantiverem, ou até reforçarem, seus esforços de diversidade e inclusão durante a crise estarão garantindo que, depois, não enfrentarão problemas como a perda de clientes, a luta para atrair talentos ou o enfraquecimento de apoios e parcerias.

Além de reforçar a imagem, as empresas que apostam na diversidade têm mais colaboração e criatividade, e podem procurar medidas de propagar esses benefícios de forma mais ampla, impactando também a sociedade.

5 melhores práticas

Faz-se necessário destacar que, para uma empresa realmente promover a diversidade, não basta apenas contratar talentos diversos. É preciso verdadeiramente inclui-los, pois é a experiência que as pessoas têm no local de trabalho que vai determinar se vão permanecer e prosperar.

Para ajudar, então, as empresas que perceberam a importância da diversidade e estão dispostas a apostar nisso, a McKinsey compartilhou as 5 melhores práticas das organizações que são destaque nesse quesito, inclusive apresentando melhor desempenho financeiro. Confira:

 

01 – Garantir a representatividade da diversidade

Esse é um fator essencial para a inclusão. É preciso garantir que a diversidade chegue também a funções executivas, gerenciais, técnicas e ao conselho.

 

02 – Fortalecer a responsabilidade e as capacidades da liderança

Líderes e gestores devem estar no centro dos esforços de diversidade, bem como o RH, é claro. Além de desenvolver e fortalecer a capacidade necessária para incluir os colaboradores, eles precisam também prestar contas em relação ao progresso da diversidade.

 

03 – Permitir a igualdade de oportunidades por meio da justiça e transparência

As empresas precisam garantir condições iguais de avanço e oportunidades, com a implementação de ferramentas analíticas que provem que os critérios por trás das promoções e remunerações são justos e transparentes.

 

04 – Promover a abertura e combater o bullying

Deve ser instaurada uma política de tolerância zero a qualquer tipo de comportamento discriminatório, como bullying e assédio, que auxilie a liderança a identificar a abordar microagressões. Além disso, devem ser estabelecidas normas que permitam um comportamento aberto e acolhedor, solicitando feedbacks constantes sobre como todos estão vivenciando isso.

 

05 Fomentar a participação por meio de apoio explícito à diversidade

A cultura organizacional deve garantir que todos os colaboradores se sintam à vontade para trazer todo o seu eu para o trabalho. Os gestores devem tornar visível o seu compromisso com a diversidade, criando conexão e apoiando seus colaboradores, para promover um senso de comunidade e pertencimento.

 

Esperamos que essas dicas inspirem e auxiliem você a implementar e fortalecer a diversidade na sua empresa. Mas não apenas por uma questão de criatividade, inovação ou melhoria do desempenho econômico. E sim, por humanidade!