A remuneração estratégica é uma forma de valorizar, geralmente financeiramente, o bom desempenho dos profissionais. Assim, ela pode acontecer por meio de bônus, gratificações, meritocracia, participação nos lucros e resultados, ou, ainda, de forma não-monetária, que se dá, por exemplo, por meio de dias de folga ou capacitações.

Ser beneficiado por um bom desempenho, além de prazeroso, é uma ótima forma para se sentir motivado, não é verdade?

Isso se reflete diretamente na produtividade e engajamento dos colaboradores de qualquer empresa e essa é a razão para a remuneração estratégica estar ganhando cada vez mais destaque.

Uma remuneração estratégica aplicada corretamente pode ser um grande diferencial para atrair e reter os melhores talentos.

Quer saber mais? Então, continue a leitura deste texto que preparamos para você.

 

Por que desenvolver uma remuneração estratégica é interessante?

A remuneração estratégica é interessante porque instiga os colaboradores a maximizarem seu potencial e alcançarem excelentes resultados, pois sabem que serão justamente recompensados por isso.

É importante ressaltar que a remuneração estratégica é composta pelo salário e pelos benefícios acordados no contrato de trabalho mais o valor adicional, que pode variar de acordo com o objetivo atingido.

Isso estimula os colaboradores a desenvolverem novos conhecimentos, habilidades e competências, além de estarem sempre atentos a oportunidades de melhoria.

Em resumo: a remuneração estratégica deve reforçar a cultura, elevar o clima organizacional e os comportamentos necessários para o sucesso da empresa e resultados elevados.

Sua estratégia de remuneração simplesmente pode definir sua posição competitiva no mercado e impactar sua marca como um todo, incluindo a reputação da empresa como empregadora.

Uma remuneração estratégica também é importante para sua empresa porquê:

 

Estimula a busca por melhorias e desenvolvimento

Os colaboradores são estimulados a buscarem sempre por oportunidades de melhoria e desenvolvimento, já que isso se reflete diretamente na qualidade de seu trabalho e resultados alcançados, o que, por sua vez, tem impacto na remuneração estratégica.

 

Aumenta a satisfação dos colaboradores em relação à empresa

Uma remuneração estratégica, quando bem desenvolvida, faz com que seus funcionários se sintam mais valorizados e apreciados como parte importante da empresa, o que aumenta a satisfação que eles sentem em relação ao trabalho.

 

Impulsiona a produtividade

Desenvolver uma remuneração estratégica, além de soar amigável aos funcionários, pode ajudar a incentivá-los a dar o melhor de si e aumentar seu nível de produtividade.

 

Contribui para a retenção de talentos

A remuneração estratégica pode ajudar a manter seus funcionários felizes e convencê-los a permanecer por muito mais tempo na empresa ou até a seguir uma longa carreira dentro dela.

 

Como desenvolver uma boa remuneração estratégica?

Agora que você já sabe o que é e qual a importância de desenvolver uma remuneração estratégica, chegou a hora de colocar a mão na massa e desenvolver um plano de remuneração vantajoso aos seus colaboradores.

Com planejamento e transparência, você pode montar uma remuneração a partir dessas etapas:

 

Etapa 1: Identifique o perfil dos seus colaboradores

Primeiramente, é importante entender como seus colaboradores vão reagir à remuneração estratégica. Esse tipo de remuneração pode ser mais bem aceito entre profissionais mais competitivos, mas pode sofrer resistência por aqueles que não costumam lidar tão bem com a pressão, por exemplo.

Por isso, é fundamental conhecer o perfil dos profissionais, para desenhar uma estratégia que seja bem quista por todos.

 

Etapa 2: Faça um bom planejamento financeiro

Para desenvolver a remuneração estratégica, é imprescindível que haja a participação ativa da alta liderança e, é claro do setor financeiro.

Afinal, é fundamental ter clareza do quanto a empresa pode investir, para que tudo seja comunicado com transparência para os colaboradores e para que não exista o risco de ter que “voltar atrás” por falta de recursos financeiros – o que pode não apenas desmotivar os colaboradores, mas também descredibilizar futuras iniciativas da organização.

 

Etapa 3: Defina o sistema de remuneração

Essa é uma das partes mais importantes do desenvolvimento da sua remuneração estratégica. Há diversos tipos de sistemas de remuneração, como por exemplo, o PLR (Participação nos Lucros e Resultados), gamificação, comissão, gratificação e benefícios não-monetários, como dias de folga e cursos de especialização.

 

Etapa 4: Comunique e incentive todos a darem o seu melhor

Assim que o novo plano de remuneração for implementado, todos os seus funcionários devem estar cientes sobre ele ao mesmo tempo. Então, a dica é organizar uma reunião geral de lançamento da remuneração estratégica e acompanhar e-mails, postagens em mídias e outros meios de comunicação com os funcionários.

Mais importante ainda, certifique-se de ter os recursos necessárias para que os funcionários entrem em contato para tirar dúvidas, etc.

Um dos maiores problemas nas empresas em geral é a falta de transparência em termos de estratégia de remuneração. A melhor maneira de lidar com o assunto é sendo específico, direto e claro.

 

Pontos de atenção!

Agora que você já sabe como desenvolver um plano de remuneração estratégica, é necessário fazer uma boa gestão dela – e, para isso, é preciso ter em mente alguns pontos de atenção:

 

Seja realista

Muitas empresas querem oferecer incríveis planos de remuneração para se manterem competitivas na briga por bons profissionais no mercado. Entretanto, depois de analisar os números, os gestores percebem que não conseguem pagar por isso – simplesmente, o caixa não fecha!

Faça uma perspectiva real do negócio para que não tenha que voltar atrás depois que a proposta é lançada aos colaboradores.

Seja transparente sobre o que é e o que não é possível. Por exemplo, se você tiver um ótimo trimestre, comemore esses resultados, mas seja criterioso. Depois de definir o padrão alto para as estratégias de remuneração, é mais difícil recuar se você passar por momentos difíceis.

Unir a remuneração estratégica ao setor de recursos humanos é a melhor maneira de ter sucesso com esse desenvolvimento. Procure maneiras de vincular seu plano de remuneração à permanência dos colaboradores na empresa, em seu desempenho individual ou o desempenho da equipe em geral.  Esse tipo de abordagem realista ajuda a definir as expectativas dos funcionários atuais, além de permitir que você atraia e retenha talentos, como visto anteriormente.

 

Cuidado com o clima organizacional

Outro ponto de atenção é em relação ao clima organizacional. Com o objetivo de conquistar a premiação, os colaboradores podem se tornar extremamente competitivos, o que pode ocasionar inúmeros conflitos e desencadear um clima organizacional pesado, tóxico e, até mesmo, insustentável.

Para que esse tipo de situação não ocorra, é preciso tomar muito cuidado ao desenhar a estratégia e optar, por exemplo, por metas que estimulem o trabalho em equipe e a colaboração do que resultados individuais.

 

Alie a remuneração estratégica ao bem-estar e qualidade de vida

Outra preocupação ao desenvolver a remuneração estratégica é em relação à sobrecarga de trabalho. Com o objetivo de conquistar os melhores resultados, os profissionais podem acabar trabalhando horas a mais, não respeitando as pausas para alimentação e descanso e, até mesmo, abrindo mão de momentos de lazer.

Isso tudo, é claro, não contribui em nada para a sua produtividade e acaba, inclusive, gerando o efeito contrário ao desejado pela empresa.

Por isso, é extremamente válido aliar a política de remuneração estratégica ao bem-estar e qualidade de vida do profissional, desestimulando as horas extras, incentivando pausas estratégicas, além de outras iniciativas.

 

Esperamos que este artigo tenha ajudado você a entender melhor o que é a remuneração estratégica e o porquê ela é uma excelente forma de engajar colaboradores e atingir melhores resultados.