Gestão de carreira e sucessão: saiba por que isso é fundamental para o seu negócio

Entre tudo o que impulsiona os resultados de uma empresa, algo que tem enorme destaque é, sem dúvida, a gestão dos seus talentos.

 

Afinal, no fundo, uma organização se torna as pessoas que fazem parte dela – pois são elas que dão vida a tudo que se planeja e se sonha.

 

E justamente para que essas pessoas continuem engajadas e dispostas a dar o melhor de si, é imprescindível que a empresa tenha um plano de carreira para elas.

 

E para que a empresa, por sua vez, continue evoluindo nos seus resultados e tenha perenidade em seus negócios, é imprescindível que tenha um plano de sucessão.

 

Saiba mais sobre esses dois fatores tão importantes, continuando a leitura deste texto! 😉

 

O que é gestão de carreira?

 

A gestão de carreira é um processo que tem o objetivo de estruturar a trilha de desenvolvimento e evolução de um profissional dentro da organização.

 

Trata-se de um plano individual, que alinha os objetivos do indivíduo aos objetivos organizacionais.

 

A gestão de carreira é um dos principais impulsionadores da vantagem competitiva de uma empresa, devido a dois aspectos principais.

 

Primeiramente, é um diferencial para a atração e retenção de talentos. Isso porque a falta de perspectiva de crescimento profissional faz com que muitas pessoas optem por trocar de emprego.

 

Afinal, é praticamente impossível que um profissional de qualidade se contente com a estagnação.

 

Em segundo lugar, está o aumento da satisfação do cliente, da capacidade de inovação e dos resultados conquistados.

 

Isso acontece porque, ao saber que há a possibilidade de evolução na carreira, as pessoas tendem a dar o seu melhor, o que gera um aumento evidente da produtividade e do desempenho organizacional.

 

Criando um plano de carreira

 

Criar um plano de carreira é muito semelhante a criar um plano de desenvolvimento individual.

 

É preciso identificar a situação atual do colaborador e o que ele precisa fazer para evoluir na sua jornada dentro da empresa.

 

É importante que as expectativas dele e da organização estejam alinhadas, para que não se corra o risco de preparar o profissional para algo que não seja do seu agrado, e também para que se possa vislumbrar novas oportunidades a partir das suas preferências.

 

Na elaboração do plano, faz-se necessário levar em conta tanto as oportunidades de melhoria que aquele colaborador apresenta, quanto os pontos que o destacam profissionalmente.

 

Ou seja, é preciso identificar e criar medidas para se trabalhar aquelas fraquezas que estão impedindo ou atrapalhando o seu desenvolvimento.

 

Mas, tão ou mais importante do que isso, é o aperfeiçoamento dos seus pontos fortes, desenvolvendo-o ainda mais naquilo que ele sabe fazer de melhor!

 

Competências técnicas e comportamentais

 

Para que o colaborador atinja a evolução almejada, normalmente é preciso desenvolver uma série de competências técnicas e comportamentais.

 

As competências técnicas dizem respeito à execução do trabalho propriamente dito.

 

Pode-se dizer que essas competências são mais fáceis de serem aprendidas e desenvolvidas, pois, como o nome sugere, são técnicas, e podem ser repassadas por meio de cursos e treinamentos.

 

Já as competências comportamentais estão mais relacionadas ao modo de ser e agir do colaborador.

 

Aqui estão incluídas as habilidades de relacionamento interpessoal, de comunicação, de liderança, entre tantas outras que, para serem verdadeiramente postas em prática, exigem mudanças profundas de atitude e comportamento.

 

Uma grande sacada das organizações é incorporar o plano de carreira ao plano de sucessão.

 

O que é plano de sucessão?

 

O plano de sucessão é um processo pelo qual a organização identifica e desenvolve colaboradores em específico para ocupar as posições-chave da organização.

Dessa forma, as principais posições não ficarão em aberto quando um profissional for promovido, se aposentar ou sair por algum motivo.

 

A importância de unir o plano de carreira ao plano de sucessão é que a organização conta com um processo sistemático de desenvolvimento dos colaboradores.

 

Assim, a empresa dificilmente será pega de surpresa com a saída ou mudança de posição de um colaborador, pois já terá alguém previamente preparado para assumir a função.

 

E essa é justamente uma das principais vantagens de um plano de sucessão. Ao preparar profissionais que já estão na organização, as posições mais estratégicas serão colocadas nas mãos de pessoas que já têm o conhecimento da cultura e do funcionamento da empresa.

 

Existe um risco muito grande em colocar tal responsabilidade nas mãos de profissionais que vêm do mercado.

 

Em primeiro lugar, porque eles não têm esse conhecimento sobre a realidade interna da organização.

 

Em segundo, porque o processo de recrutamento e seleção geralmente só é feito quando a vaga está em aberto. Mas posições-chave não podem esperar todo o processo de contratação e admissão acontecer. Elas precisam ser preenchidas de imediato!

 

Por isso, ao preparar os próprios colaboradores para essa ascensão de carreira, a empresa garante a fluidez e a perenidade dos seus negócios.

 

Criando um plano de sucessão

 

Um plano de sucessão é muito similar ao plano de carreira.

 

A principal diferença é que, enquanto o plano de carreira trata do desenvolvimento individual de todos os colaboradores da organização, o plano de sucessão é direcionado a um grupo específico de profissionais, e tem o objetivo de desenvolvê-los para assumir determinada posição.

 

Vamos ver um exemplo:

 

No caso de algum profissional que ocupe uma posição-chave ser promovido (ou se aposentar) alguém precisará ocupar o lugar dele.

 

Mas isso não poderá acontecer da noite para o dia. Um colaborador que já tenha sido previamente identificado como potencial sucessor, já deve estar sendo preparado para isso.

 

Isso significa que a empresa deve:

  1. Primeiro: identificar as pessoas que têm potencial para ocupar posições-chave;
  2. Segundo: desenvolvê-las de acordo com o perfil do cargo para a qual elas serão preparadas.

 

Ou seja, se o cargo em questão exige que a pessoa tenha as competências técnicas x, y, z e as competências comportamentais a, b, c, o plano de sucessão deve proporcionar maneiras de desenvolver o colaborador nas respectivas competências.

 

Por que a gestão de carreira e sucessão é fundamental para as empresas?

 

Como você pôde perceber ao longo deste texto, a gestão de carreira e sucessão é fundamental para as empresas.

 

Isso tanto por ser uma ótima forma de atrair, reter e desenvolver talentos, aumentando a performance organizacional, a qualidade das entregas e os resultados conquistados; quanto por assegurar a fluidez e a perenidade dos negócios.

 

No fim das contas, a empresa tem colaboradores mais motivados e engajados, consegue reter seus talentos, economiza com novos processos de recrutamento e seleção, melhora constantemente seus produtos e serviços, e, claro, aumenta sua performance e vantagem competitiva!

 

É bom para todo mundo, não é?

E, melhor ainda, é fazer isso de forma otimizada e efetiva!
Algumas soluções tecnológicas, como um software específico para RH, podem tornar todo esse processo muito mais simples, prático, rápido e livre de vieses inconscientes!

 

Converse com nossos especialistas e veja como otimizar – e revolucionar – a gestão de carreira e sucessão da sua empresa!

E-mail: contato@forbiz.com.br
Telefone: (41) 4042-1026
WhatsApp: (41) 98785-2796