Estamos vivendo uma Revolução Industrial. A quarta significativa na história da humanidade – por isso conhecida também como Indústria 4.0.

A questão não é mais “se” sua empresa ou indústria será atingida por ela, mas “como”. E é melhor não esperar mais pelo “quando”, pois tudo está acontecendo de uma maneira extremamente rápida.

Portanto, entenda exatamente o que é a Indústria 4.0 e saiba como se preparar e aproveitar as oportunidades oferecidas por ela, lendo este texto que fizemos para você!

 

O que é Indústria 4.0?

O termo “4.0” está associado às revoluções industriais que já ocorreram no mundo, sendo esta, portanto, a 4ª Revolução Industrial.

A Indústria 4.0, ou 4ª Revolução Industrial, é um fenômeno capaz de elevar ao máximo a automação nas indústrias, por meio de sistemas e máquinas inteligentes e conectados.

Mas não é só isso. Na era da Indústria 4.0, cada avanço tecnológico pode conduzir a uma série de novas descobertas, propiciando a fusão entre tais tecnologias e os domínios digitais, físicos e biológicos.

 

As 4 Revoluções Industriais

Para ficar mais fácil de entender, vamos voltar um pouco no tempo e relembrar como tudo começou.

  • A Primeira Revolução Industrial, ocorrida em meados do século 18, foi caracterizada pelo surgimento das máquinas a vapor, ferrovias e o tear mecânico.

 

  • A Segunda Revolução Industrial, por sua vez, ocorreu entre o final do século 19 e início do século 20 e foi marcada pela eletricidade e pelas linhas de produção, criadas originalmente por Henry Ford, que possibilitaram a produção em larga escala.

 

  • A Terceira Revolução Industrial ocorreu no século 20, após a Segunda Guerra Mundial, com o avanço e popularização dos computadores pessoais, internet, informática e tantas outras descobertas que vieram para modernizar – e facilitar – o dia a dia de profissionais das mais diversas áreas de atuação.

 

  • Já a Quarta Revolução Industrial está “no ar” desde o início do século 21. O termo “Indústria 4.0” foi apresentado pela primeira vez em 2011, na Feira de Hannover, a feira industrial mais importante da Alemanha.

“Esse conceito, usado no quadro da estratégia de tecnologia de ponta do governo federal alemão, descreve um processo de fabricação, no qual todas as máquinas e todos os produtos estão interconectados digitalmente entre si”, explica o portal de notícias do país.

Algumas tecnologias se destacam nesse contexto, como internet das coisas, inteligência artificial, computação em nuvem, entre outras.

É importante ressaltar aqui o tempo necessário para que essas revoluções ocorressem.

A Primeira Revolução Industriou levou cerca de 120 anos para se espalhar pelo globo. A Segunda ainda não é realidade para 17% da população mundial, que ainda vivem sem energia elétrica. Já a terceira, caracterizada pela internet, dominou o planeta em menos de uma década. Porém, muitos países em desenvolvimento ainda não têm acesso a essa tecnologia.

Mesmo assim, a Quarta Revolução Industrial está sendo difundida muito mais rápida e amplamente do que as revoluções anteriores, acontecendo, inclusive, simultaneamente.

Por falar em rapidez e amplitude, essas são características importantíssimas da Quarta Revolução Industrial.

 

Características da Indústria 4.0

Características da Indústria 4.0

Características da Indústria 4.0

Uma revolução significa, basicamente, uma mudança radical. Com as Revoluções Industriais não seria diferente. Todas mudaram significativamente a forma de perceber o mundo e as estruturas econômicas e sociais.

Mas a Quarta Revolução – ou a Indústria 4.0 – está indo além, alterando “profundamente a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos”. Essa frase é do economista Klaus Schwab, fundador do World Economic Forum, que complementa: “Em sua escala, escopo e complexidade, a quarta revolução industrial é algo que considero diferente de tudo aquilo que já foi experimentado pela humanidade”.

Em seu livro “A Quarta Revolução Industrial”, Klaus explica as características que fazem com que a Indústria 4.0 seja tão única e importante:

 

  • Velocidade: A evolução acontece em ritmo exponencial, e não linear, como nas revoluções anteriores. Além disso, as novas tecnologias têm o potencial de gerar outras, ainda mais novas e qualificadas.

 

  • Amplitude e profundidade: Está quebrando paradigmas econômicos, sociais e individuais. “A revolução não está modificando apenas o ‘o que’ e o ‘como’ fazemos as coisas, mas também ‘quem’ somos”.

 

  • Impacto sistêmico: Sistemas inteiros estão sendo transformados “entre países e dentro deles, em empresas, indústrias e em toda sociedade”.

 

Princípios da Indústria 4.0

Dissemos anteriormente que o termo “Indústria 4.0” foi apresentado pela primeira vez em 2011, em uma feira em Hannover.

Pois bem, alguns anos depois, este grupo de estudos, presidido por Siegfried Dais (Robert Bosch GmbH) e Henning Kagermann (German Academy of Science and Engineering), elencou os seis princípios da Indústria 4.0, que são:

  • Tempo real: Capacidade de coletar e analisar dados instantaneamente, contribuindo para decisões acertadas e imediatas.

 

  • Descentralização: A tomada de decisão pode ser feita pela própria máquina, sem a necessidade de intervenção humana.

 

  • Virtualização: Trata-se de uma cópia virtual da fábrica inteligente, permitindo o rastreamento e monitoramento de todos os processos, mesmo remotamente.

 

  • Modularidade: Flexibilidade para alterar tarefas, permitindo que módulos sejam acoplados ou desacoplados conforme demanda.

 

  • Orientação a serviços: Ocorre quando um software é orientando a disponibilizar suas soluções como serviço, utilizando a tecnologia de Computação em Nuvem.

 

  • Interoperabilidade: Capacidade de conexão e comunicação entre máquinas, sistemas e pessoas.

 

Impactos da Indústria 4.0 na manufatura

Impactos da Indústria 4.0 na manufatura

Impactos da Indústria 4.0 na manufatura

A Indústria 4.0 muda por completo a realidade da manufatura, pois a torna mais inteligente, enxuta, conectada e, consequentemente produtiva.

De forma geral, podemos considerar que todas as máquinas, equipamentos e tudo o que faz parte do chão de fábrica está conversando entre si e com o corporativo.

Dessa “conversa” se origina uma série de dados que podem ser analisados em tempo real e que contribuem para levantamentos de cenários e tomadas de decisões mais efetivas em curto e longo prazo.

Como tudo acontece em tempo real, é possível pausar imediatamente uma produção que possa estar equivocada, evitando desperdício de materiais, identificar oportunidades de redução de custo, aumentar o nível de qualidade das produções e dar mais autonomia ao processo produtivo.

Isso mesmo: autonomia! Com a Indústria 4.0 muitos processos podem ocorrer com pouca ou nenhuma interferência humana.

Ou seja, teremos mais profissionais humanos envolvidos em atividades criativas e estratégicas, e mais “robôs” lidando com a parte mecânica e operacional.

Mesmo assim, a Indústria 4.0 provoca grandes questionamentos quando se fala sobre empregabilidade… e isso é assunto para o nosso próximo tópico!

 

Impactos da Indústria 4.0 na empregabilidade

Assim como nas outras revoluções, alguns postos de trabalho também serão eliminados com a Indústria 4.0.

De acordo com um estudo feito por pesquisadores da Oxford Martin School, as possibilidades de emprego aumentarão para ocupações relacionadas à cognição e criatividade, mas diminuirão consideravelmente para os trabalhos repetitivos e rotineiros.

O que a história nos mostra é que, se por um lado há a eliminação ou redução de determinados postos de trabalho, de outro há a aparição de oportunidades nunca antes imaginadas!

A maior preocupação, nesse caso, é o espaço de tempo entre a eliminação e o surgimento das novas possibilidades de emprego.

Klaus Schwab tem uma visão otimista do futuro da empregabilidade, alegando que ­ “os desejos e as necessidades humanas são infinitos, assim o processo de lhes fornecer algo também deve ser infinito. Exceto durante as recessões normais e as depressões ocasionais, sempre haverá trabalho para todos”.

O autor complementa dizendo que, “na verdade, na maioria dos casos, a fusão das tecnologias digitais, físicas e biológicas que causa as alterações atuais servirá para aumentar o trabalho e a cognição humana”.

Ou seja, não devemos temer a Indústria 4.0, e sim nos preparar – e preparar nossas empresas – para “trabalhar com (e em colaboração) máquinas cada vez mais capazes, conectadas e inteligentes”.

 

Vantagens da Indústria 4.0

Quando os dados da produção são integrados aos dados disponíveis no sistema ERP, a visualização de cenários e de todo o processo é imensamente ampliada, resultando em análises riquíssimas e tomadas de decisão que se refletem, principalmente, em:

  • Redução de erros;
  • Eliminação de gargalos;
  • Maior flexibilidade operacional;
  • Aumento de produtividade;
  • Muito mais velocidade em todo processo produtivo;
  • Nível mais alto de automação;
  • Descentralização de decisões;
  • Aumento da capacidade de resposta (clientes e mercado);
  • Customização e aprimoramento da qualidade.

 

Tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0

De acordo com um estudo do Boston Consulting Group, existem 9 tecnologias principais que habilitam a Indústria 4.0. São elas:

  • Computação em nuvem: As empresas precisam cada vez mais integrar e compartilhar dados pela nuvem, cuja performance é otimizada pelo aumento da velocidade e capacidade de processamento.

 

  • Big Data e Data Analytics: A coleta, a organização e a análise de grandes quantidades de dados são grandes destaques da Indústria 4.0, principalmente quando tudo isso pode ser feito em tempo real. Essas tecnologias contribuem para a melhoria dos processos de produção, economia de energia e aumento de desempenho dos equipamentos e serviços.

 

  • Robôs autônomos: Os robôs autônomos, como o próprio nome sugere, são capazes de trabalhar sem a interferência humana. Eles são inteligentes, flexíveis, interagem uns com os outros e trabalham em colaboração com os seres humanos.

 

  • Simulação: Permite a simulação virtual de toda a cadeia de produção, fazendo uso de dados coletados do mundo físico em tempo real. A simulação engloba pessoas, processos, máquinas e produtos.

 

  • Integração de sistemas: A Indústria 4.0 irá integrar todos os sistemas internos de uma organização, como produção, serviços, entre outros. Além disso, também fará a conexão com outras empresas, como fornecedores e clientes.

 

  • Internet das coisas: Dentro de uma Indústria 4.0 tudo está conectado à internet. Os sensores geram dados que podem ser analisados em tempo real, facilitando a tomada de decisão imediata.

 

  • Cibersegurança: O principal objetivo é proteger dados e sistemas de ataques cibernéticos, já que tudo é extremamente conectado e integrado.

 

  • Manufatura aditiva: Trata-se da utilização de impressão 3D para a fabricação de produtos customizados e protótipos, que, se fossem fabricados em uma “indústria padrão” seriam altamente custosos.

 

  • Realidade aumentada: A realidade aumentada permite que os colaboradores visualizem as informações necessárias para tomar as melhores decisões e otimizar o seu trabalho. Além disso, são poderosas ferramentas para a capacitação e desenvolvimento dos mesmos.

 

Como se preparar para a Indústria 4.0?

Como se preparar para a Indústria 4.0?

Como se preparar para a Indústria 4.0?

Existem 3 passos fundamentais que ajudam a preparar uma empresa para a Indústria 4.0. Confira quais são:

 

  1. Faça um mapeamento de todos os processos da sua empresa e verifique tudo o que pode ser automatizado. A automatização é fundamental para o seu negócio.

Entenda o porquê:

Agilidade, produtividade, escalabilidade… todas as empresas estão de olho nisso, certo?

Não é à toa que 40% das equipes de infraestrutura e operações utilizarão, até 2023, automatização combinada com inteligência artificial justamente para atingir esses objetivos, de acordo com um relatório recente do Gartner.

Cada vez mais organizações, líderes e colaboradores estão percebendo a automatização como algo importante e vantajoso para a realização das suas tarefas e para a eficiência do negócio como um todo.

Uma pesquisa realizada pela KRC Research com cerca de 400 profissionais, entre líderes empresariais e colaboradores, revelou que 74% dos respondentes acreditam que pelo menos alguma parte do seu trabalho poderia ser automatizada.

A grande maioria (90%) vê vantagens na automatização de tarefas, considerando que isso pode contribuir imensamente para a redução de erros, para o aumento de velocidade e para a melhoria da qualidade.

A otimização do tempo também teve peso nas respostas. Apesar de 53% dos colaboradores acreditarem que poderiam economizar até duas horas por dia com a automatização, o grande impacto foi sentido em relação ao trabalho dos líderes: quase 80% disseram que poderiam economizar até três horas diárias! Ou seja, a automatização os ajudaria a ter 360 horas por ano a mais para focar em aspectos mais estratégicos do negócio!

 

Mas, afinal, o que é a automatização?

A automatização pode ser definida como a utilização de tecnologia avançada para tornar automáticos processos complexos do negócio.

Nesse contexto estão incluídas tanto atividades relacionadas à análise de dados, por exemplo, que se tornam muito mais aprofundadas e assertivas; quanto atividades repetitivas e rotineiras, que muitas vezes não são “do agrado” de quem as executa, justamente pelo caráter mecânico e operacional que elas têm, resultando em tédio e insatisfação por parte dos colaboradores.

Então, por que não dar ao homem o que ele sentirá satisfação em fazer e deixar com as máquinas o que elas fazem melhor?

 

Está em dúvida se deve investir em automatização?

Se você está tentando entender se é importante para a sua empresa investir em automatização, considere os seguintes pontos:

 

  • Escalabilidade: a automatização permite que a sua empresa tenha mais capacidade para crescer, para se reinventar e para se adaptar com mais facilidade às mudanças de mercado.

 

  • Redução de erros: tarefas que devem ser realizadas com precisão são feitas com uma qualidade muito superior e em um ritmo muito mais acelerado quando são automatizadas.

 

  • Processamento de dados: softwares de automatização são capazes de processar e analisar grandes quantidades de dados muito mais rapidamente e assertivamente do que seria possível manualmente.

 

  • Melhoria de qualidade: processos automatizados se tornam padronizados, o que garante o mesmo nível de qualidade de um produto e/ou o mesmo nível de experiência do consumidor. Isso dá à empresa mais facilidade para controlar o seu padrão de qualidade estipulado.

 

  • Otimização do tempo: conforme falamos anteriormente, a automatização de tarefas manuais pode proporcionar de duas a três horas a mais por dia na agenda de colaboradores e líderes, liberando-os para assuntos e afazeres mais estratégicos, que realmente agreguem valor ao negócio.

 

  • Aumento de produtividade: somado à economia do tempo, citada no item anterior, está o fato de que a maioria das tarefas passíveis à automatização são repetitivas e rotineiras, e além de estarem sujeitas a erros humanos, são motivo de insatisfação para os profissionais que as executam. Ao tirar tais atividades deles, a produtividade em relação a essas tarefas aumenta, pois passam a ser realizadas com mais eficiência; e a produtividade dos colaboradores aumenta, porque eles irão se sentir mais engajados e satisfeitos com o que fazem.

 

  • Redução de custos: por otimizar o tempo, aumentar a qualidade e reduzir os erros, a automatização acaba, consequentemente, reduzindo os custos necessários para a execução de tais atividades.

 

Veja alguns exemplos de como a automatização de processos pode ser aplicada:

Existem inúmeras oportunidades de automatização dentro das organizações, e todas são capazes de potencializar seu crescimento. Porém, pela própria dinâmica de funcionamento do negócio, muitas vezes os gestores estão presos a uma rotina de falta de tempo, e não conseguem se atentar a elas.

Por isso, vamos citar aqui as principais oportunidades de automatização que as empresas deveriam considerar:

 

  • Gestão empresarial: a automatização aplicada à gestão empresarial permite que todas as informações sejam integradas em um único sistema. Com isso, é possível identificar gargalos, reduzir e otimizar processos, além de ter embasamento para tomadas de decisões rápidas e precisas.

 

  • Gestão de pessoas: todo mundo sabe que as pessoas são o ativo mais importante de uma organização e que a sua gestão é a base e a causa do sucesso! o RH é um setor que se beneficia de forma especial da automatização, devido à imensa quantidade de dados para análise e tratativa, além, é claro, das inúmeras tarefas envolvendo legislações e encargos trabalhistas. Ao automatizar esses processos, os profissionais da área têm mais tempo para focar no que realmente importa: a gestão estratégica do capital humano e o desenvolvimento dos talentos.

 

  • Gestão de relacionamento com o cliente: a empresa deve ter seu foco voltado ao cliente e suas necessidades – e não só o departamento de vendas, mas todos os setores. Nesse contexto, a aplicação da automatização permite que todas as áreas da empresa sejam integradas ao ciclo de vida dos consumidores. Isso fortalece o relacionamento com o cliente e garante a entrada de novos negócios, já que é possível fazer o acompanhamento diário de novas oportunidades de vendas, metas, indicadores, assertividade e muito mais!

 

  • Gestão de processos: implementando uma gestão de processos automatizada, a empresa não só substitui planilhas e papéis pela digitalização, com também traz mais transparência e velocidade para o dia a dia, com desburocratização, garantia de atendimento ao compliance, excelência na gestão de tarefas e maior competitividade no mercado!

 

  • Gestão de transportes: com a automatização, a gestão de transportes é otimizada. Com isso, fica mais fácil visualizar as rotinas e planejar as entregas, reduzindo custos, aumentando a eficiência e elevando os resultados.

 

  • Gestão de controle de estoque e armazenagem: ao automatizar as operações da gestão do controle de estoque e armazenagem, a empresa tem mais controle sobre toda a sua logística, desde o recebimento até a expedição, tomando decisões mais inteligentes, com a ajuda da tecnologia, sobre as melhores posições para as mercadorias, distribuição de tarefas e recursos, entre outros.

 

Pontos de atenção ao adotar a automatização

Se você está convencido de que a automatização pode trazer melhorias à performance e aos resultados da sua empresa, antes de implementá-la, você precisa prestar atenção em um ponto fundamental: a sua equipe! Portanto:

 

  • Envolva sua equipe: ao decidir adotar a automatização, envolva todos os seus colaboradores. Eles podem ter ótimos insights sobre o que pode ser automatizado, que talvez você não tenha nem pensado. Além disso, é importante que entendam que, na maioria dos casos, a automatização vem para somar, para melhorar a performance deles, e não para tomar seu lugar.

 

  • Capacite e prepare a sua equipe: mantenha seus colaboradores em constante aprendizado para que desenvolvam as habilidades necessárias para este novo cenário. É importante que entendam o movimento não como uma disputa de homem versus máquina, mas como uma soma de forças, uma forma colaborativa de atingir o máximo potencial individual e organizacional.

 

A automatização é fundamental nos dias de hoje, pois as empresas precisam melhorar constante e agilmente a sua forma de operar, a fim de elevar sua produtividade, garantir sua escalabilidade e ser capaz de se reinventar para permanecer sempre relevante para quem mais importa: seu cliente!

  1. Fortaleça e/ou redirecione a cultura da sua empresa

A cultura organizacional reúne os valores, objetivos, crenças, propósitos, políticas, condutas, enfim… a cultura é um compilado de tudo o que determina, conscientemente ou não, o modo como as pessoas devem agir.

Por isso é tão importante alinhar a cultura à estratégia referente à Indústria 4.0, pois esse alinhamento tem o grande poder de potencializar os resultados positivos.

 

  1. Conte com as nossas soluções

Isso mesmo! Uma das melhores maneiras de se preparar e aproveitar todas as oportunidades da Indústria 4.0 é contando com as nossas soluções desenvolvidas especialmente para esse fim!

Além disso, você ainda garante que essa transição seja feita da forma mais segura e tranquila possível, pois terá à sua disposição o suporte da mais alta qualidade prestado pelos especialistas da Forbiz!
Entre em contato conosco e entenda como podemos te ajudar!

E-mail: contato@forbiz.com.br
Telefone: (41) 4042-1026
WhatsApp: (41) 98785-2796